segunda-feira, 26 de dezembro de 2011

"Tecnologia para tratamento do lixo do Ceará será importada"


O objetivo dos investidores é aplicar no Ceará o que já tem sido feito na Europa com relação ao tratamento de resíduos sólidos. Uma usina trata diversos tipos de resíduos que terão de ser reciclados, tratados e transformados. Na usina, somente cerca de 3% do total do lixo não é aproveitado.

Os resíduos produzidos em uma casa como vidro, plástico, papel, metais terão de ser separados para reciclagem. Pneus, móveis velhos, eletrodomésticos, latas e resíduos da construção civil serão tratados nas usinas de diversas formas, que irá acarretar em subprodutos ou energia.

Além das usinas, o objetivo é instalar aterros controlados, acabando com lixões. No aterro, haverá tratamento do chorume e do metano. O vice-presidente da Abrinter, Miguel Macedo destaca que os lixões, mesmo fechados, podem poluir por vários anos. Desse modo, ele destaca a urgência em tratar o destino do lixo. (GR)

FONTE: O Povo Online

Um comentário:

  1. joaquimdecastro@castrobarbosa.comsáb ago 11, 11:15:00 AM

    Conhecemos processos de usinas de RDF, implantados com sucesso a partir da Coréia, para diversos outros países,onde o lixo, após processo inicial de eliminação de umidade,já aqui gerando vapor para utilização industrial,culminando, ao seu final, em pellets de combustível sólido de alto poder calorífico (4.500 kg/cal), fácil transporte. Por importante: o único processo compatível aos índices de umidade do lixo brasileiro(muito úmido), conforme testes já certificados.

    ResponderExcluir